Transformação Digital

Inovação e Inclusão digital: a experiência dos usuários digitais brasileiros

Bancos digitais, contratação virtual, ensino remoto e outras tarefas tornaram-se 100% digitais. Como os brasileiros lidam com essa transformação e por que a inclusão digital é também sobre acolhimento e humanização

É impossível pensar em inovação e desenvolvimento tecnológico no Brasil sem compreender como os usuários brasileiros vivenciam tantas transformações proporcionadas pelo digital no cotidiano.

O mercado de tecnologia está além de softwares técnicos e atividades especializadas em computadores ou outras máquinas complexas. Postar uma foto em alguma rede social, trocar mensagens em aplicativos de comunicação, transferências bancárias… tarefas do ambiente digital e do dia-a-dia de milhares de pessoas nesse instante em que você lê esta matéria.

Segundo uma pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), cada habitante possui 2 dispositivos digitais, em média, o que totaliza 440 milhões de dispositivos no país. Na palma da mão dos brasileiros estão os smartphones, ferramentas digitais que ocupam a maior parcela do total de dispositivos: aproximadamente 109 milhões de usuários de celulares smart. Quase metade da população!

Esses dados posicionam o Brasil em quinto lugar no ranking mundial de usuários dessa categoria de aparelhos, segundo a consultoria Newzoo.  

O Brasil é Tech? 

Entretanto, embora o país seja um mercado imenso de consumidores de internet e do digital, pelo menos 70% do total da população é usuária do digital, o país também apresenta desigualdades profundas neste setor, como indica a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): mais de 39 milhões de brasileiros não têm qualquer conexão à internet.

Outro obstáculo marcante está no fato de que, mesmo a população que possui acesso à internet e é consumidora de dispositivos digitais como computadores, notebooks e smartphones enfrenta dificuldades de aprendizagem e usabilidade.

Esse cenário mostra que há desafios tanto para promoção do acesso à internet e aos dispositivos bem como da aprendizagem de utilização de softwares, aplicações e funcionalidades embutidas nos aparelhos, o que nos leva a pensar também sobre o analfabetismo digital.

Quem são os usuários brasileiros 

Os grupos sociais que mais sofrem com a falta de conexão e de acesso aos dispositivos eletrônicos são membros das classes mais baixas e são moradores de regiões mais distantes dos grandes centros..

Já as pessoas consideradas como analfabetas digitais são caracterizadas pela falta de manejo e familiaridade com a utilização tecnológica. Ou seja, um analfabeto digital é uma pessoa que enfrenta dificuldades graves para interagir com a interface de aplicativos, redes sociais e demais ferramentas digitais. 

Esse “diagnóstico” acomete principalmente as pessoas que precisaram se adaptar a transformações tecnológicas, com o desafio aumentando após a aceleração digital impulsionada pela COVID e atualmente novas soluções como Metaverso.

Entretanto, essa informação não abre espaço para o estereótipo negativo de que adultos+ são sempre mais confusos com a tecnologia. O analfebitismo digital também acomete muitos indivíduos das gerações X, Z e Millennials. 

E a pandemia expôs as dificuldades com o digital em muitas camadas, especialmente para alunos e professores que foram impactados de surpresa sem preparo, treinamento, infraestrutura e talvez apoio institucional para um novo momento de ensino remoto

A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) realizou um levantamento de dados com o setor da educação e do trabalho de professores da rede pública. A pesquisa indicou que para 21% dos entrevistados é “difícil ou muito difícil lidar com tecnologias digitais” e ainda apontou muita dificuldade por parte dos estudantes em utilizar e se adaptar com as ferramentas.

Inclusão digital por quem faz

A aplicação de soluções que promovam a inclusão digital promove impactos sociais e mudanças bastante positivas para os usuários e para as empresas, que podem ampliar os negócios de forma mais igualitária e atingindo mais pessoas.

A yube, plataforma de admissão digital, é uma startup brasileira que compreendeu a fundo a necessidade de inclusão e proporciona uma experiência acolhedora, simples e transparente para as pessoas que utilizam o seu serviço. É um exemplo de negócio que entende o seu mercado de atuação e seus consumidores e, de fato, humaniza e facilita os procedimentos digitais de contratação. 

Democracia digital no cotidiano

Por isso, a inclusão digital tornou-se um desafio social e de mercado. Quem mais ganha com a superação desse desafio é o público brasileiro e, por consequência, o desempenho das empresas do setor também. 

Investir em democracia digital é fundamental para o estabelecimento de projetos que transformam a vida das pessoas todos os dias. As tecnologias estão cada vez mais próximas das pessoas, como fazê-las se sentirem parte disso? 

Esse pensamento deve direcionar políticas públicas e privadas para geração de democracia digital tanto no acesso aos aparelhos e dispositivos como na promoção da utilização consciente e cidadã de tantas soluções que chegaram para facilitar a vida de brasileiros e brasileiras. Ninguém deve ficar de fora disso, certo?

Etiquetas
Mostrar mais
Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar