EntrevistasEntrevistas

Entrevista – Tendências Black Friday – Parte 4

Black Friday acontece anualmente desde 2010 e foi um movimento iniciado nos EUA. Em seu primeiro ano, apenas algumas empresas brasileiras participaram da ação e logo ação ganhou maior popularidade. A Black Friday hoje já é um dos principais eventos de varejo para encontrar ofertas e descontos especiais e ocorrerá no dia 26 de novembro. Para nos aprofundarmos mais sobre as tendências da Black Friday neste ano tão particular que é 2021, convidamos diversos profissionais do segmento para uma série especial de entrevistas que serão publicadas em partes no Portal Customer.

Os profissionais abaixo foram convidados a apresentarem suas visões sobre as tendências de Black Friday nesta quarta parte, além de opinarem sobre de que forma as empresas podem se preparar para atenderem um consumidor exigente digitalmente.

  • Luan Gabellini – Sócio-Diretor da Betalabs
  • Fellipe Guimarães – CEO Founder – Codeby

1- (Redação Portal Customer) A Black Friday é uma das principais datas para o varejo online e offline e será a 2ª após a chegada do cenário pandêmico. Desta forma, quais serão as tendências que podemos esperar para a Black Friday de 2021?

(Luan Gabellini) A) A experiência mobile deve ser otimizada para um público mais amplo.

Um estudo da nossa base de clientes na Black Friday de 2020 mostrou que em alguns websites até 70% dos pedidos da Black Friday foram feitos de dispositivos móveis. Essa é uma tendência que vem crescendo e que prova que o e-commerce precisa estar preparado par auma experiência perfeita nesses dispositivos.

B) O diferencial pode estar no prazo de entrega.

Os consdumidores estão cada vez mais exigentes em relação aos prazos de enrega, sobretudo após a popularização dos superapps que passaram a oferecer produtos antes só disponíveis no e-commerce além do leque de delivery tradicional de alimentos.

C) Usuários mais racionais

Não podemos esquecer que ainda estaremos vivendo a prolongada pandemia do COVID-19 e seus desdobramentos econômicos. Com a inflação em alta e o consumidor sofrendo com a queda real do poder aquisitivo é esperado um comportamento de compra inicial mais racional, isso significa colocar itens de alta necessidade na home e principais páginas anunciadas e então complementar na jornada de compra com produtos atraentes que preencham a necessidade de conforto e realização.

(Fellipe Guimarães) Estamos vivendo a era da experiência, o cliente busca conveniência e praticidade na compra e na entrega. Ter um preço competitivo é muito importante, mas um dos fatores que contam muito no momento de cativar o cliente é o atendimento pré e no pós -venda. 

As empresas estão voltadas a trabalhar mais a experiência do cliente na compra online, desde a facilidade de formas de pagamento, como o uso de PIX  e Whatsapp Pay a usar recursos como  BI, IA e outras ferramentas para desenvolver estratégias personalizadas de acordo com o perfil do cliente, tornando a venda mais assertiva.

 Outra modalidade que  ainda aparece tímida no mercado, mas deve crescer exponencialmente é o uso de biometria facial ( ID Face) nos próximos anos. Isso deve revolucionar as vendas online e trazer mais segurança para consumidores e e-commerces, minimizando as fraudes.

A empresa Panorama Mobile Time/Opinion Box realizou uma pesquisa que aponta que o número de brasileiros que realizaram compras ou pagamentos via celular aumentou de 85% para 91%  e o uso de tecnologias de reconhecimento facial deve aumentar em 120% até 2025.

2- (Redação Portal Customer) A competição no meio digital aumentou muito, assim como o comportamento do consumidor evoluiu. Desta forma, quais os diferenciais as empresas necessitam possuir para se destacarem e encantarem o consumidor neste ano de 2021?

(Luan Gabellini)

– Escolha um design voltado para vendas

O objetivo de um e-commerce é vender. Portanto, é fundamental que o design do seu e-commerce busque mostrar os seus produtos de maneira fácil e objetiva para o consumidor. É importante que as fotos dos seus produtos tenham uma boa qualidade e contém com uma descrição completa, e que o layout do site seja atrativo para o consumidor.

– Aposte em nicho pode ser a melhor saída

Primeiro? O que é um nicho de e-commerce É a categoria definida e limitada em que seus produtos  ou serviços irão se enquadrar. Por exemplo, a livraria é um nicho mais amplo. Livros infantis é muito mais específico. Ao escolher seu nicho de e-commerce , sua marca vai girar em torno dele. Você terá um público-alvo bem definido baseado no interesse nesses produtos ou serviços.

Claro que ao definir um nicho você exclui determinados clientes, mas a definição ajuda a traçar estratégias de divulgação e aquisição de clientes mais orientadas e assertivas que irá criar a demanda de quem realmente irá comprar de você.

Para quem está procurando um nicho, fiz abaixo uma lista simples de processo que sugiro para pensar em ideias para iniciar no mundo online: Procure segmentos que estejam alinhados com o que você gosta; Pesquise a concorrência na internet; Pesquise o interesse com pessoas próximas e Crie um plano simplificado de negócio.

(Fellipe Guimarães) Eu poderia citar a estratégia omnichannel,  o  atendimento personalizado e a conexão com os valores da marca.  Outro fator muito importante, que é um dos principais motivos de abandono de carrinho, é o valor do frete, e os e-commerces estão buscando alternativas na logística.  Uma delas é a integração shipping from store, onde  há uma sincronização de estoques físicos das lojas com o e-commerce. Quando o cliente faz a compra no e-commerce e está próximo a uma loja física, o e-commerce usa o estoque da loja para concluir a compra e agilizar ainda mais o prazo final de entrega para o cliente, diminuindo também os custos de logística. 

Outra modalidade que vem sendo utilizada cada vez mais é a logística previsível. Usando ferramentas com cruzamento de dados é possível analisar as informações dos visitantes e criar estratégias assertivas.

Algumas empresas criaram  o  Drive-thru para retirada de pedidos e estão investindo na retirada de produtos na loja. Grandes players têm alcançado faturamento acima de 100% das vendas nesta modalidade comparando-a com as vendas de 2019.

Atendimento humanizado é um termo bem ruim (em minha humilde opnião), Acho que podemos ir para personalizado, exclusivo, indivulal, especial, qualquer coisa, menos humanizado, me lembra parto esta palavra.

Etiquetas
Mostrar mais
Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar